Verdades a saber

Verdades que devem ser conhecidas

Ennio Dinucci....

Um dos deveres mais importantes de uma autêntica Escola Esotérica é manter seus estudantes permanentemente informados sobre tudo o que diz respeito aos ensinos superiores, especialmente quando estes se referem à Ordem Rosacruz e seu insigne mensageiro, o Sr. Max Heindel.

Por incrível que pareça, os dirigentes das organizações espiritualistas - com raras exceções - não conseguem manter-se fiéis aos seus princípios. Em vez de procurarem entendê-los devidamente, a fim de elevarem-se à altura das verdades por eles apresentadas, acham mais fácil rebaixá-los ao seu próprio nível de compreensão, misturando-os com as suas próprias opiniões, e às dos escritores com os quais têm afinidade, resultando disso uma séria confusão, que prejudica a virtualidade dos ensinamentos.

Uma das provas mais sérias que os responsáveis por uma Escola devem enfrentar, é a que trata da apresentação e continuidade dos seus ensinos no Mundo Material. Embora estes sejam elaborados pelos Irmãos Maiores nos planos espirituais, tendo em vista as necessidades espirituais dos homens, eles são revelados ao mundo e lançados como sementes de forma oral e escrita, dando origem, quase sempre, a uma série de interpretações intelectuais falseadas, quando são apresentados por pessoas não qualificadas e incapazes, portanto, de penetrar seu sentido mais elevado.

É uma realidade indiscutível que a vaidade e o orgulho intelectual, especialmente no campo do ocultismo, provocaram em todos os tempos os mais sérios desencontros. Daí não ser nada fácil conservá-los em sua integridade e pureza originais, sem maculá-los com os pontos de vista pessoais, vaidosos e personalísticos.

Na grande maioria dos casos, com honrosas exceções, quando o Verbo (Instrutor), que dirige uma Escola em sua linha, sai do cenário visível por ocasião da sua passagem para os mundos espirituais, a Escola entra em declínio, encaminhando-se fatalmente para sua decadência e extinção.

Em várias passagens bíblicas, (especialmente no livro de Jeremias) são feitas referências simbólicas ao desvirtuamento e desaparecimento de uma determinada Escola (cisterna), ao dizer que suas águas (verdade ou método de ensino) haviam secado ou tornaram-se amargas!

Na falta de um sucessor autorizado e devidamente preparado, a Escola perde a sua direção e o lugar é ocupado por alguém não qualificado, que passa a ocupar a cadeira que não lhe pertence.

Nesses casos, a expressão física da Escola continua, e seus dirigentes podem até mesmo proclamar em alta voz serem os herdeiros do seu fundador. Poderão publicar suas obras, por terem herdado seus direitos autorais, considerando-se os únicos autorizados a falar em seu nome. Entretanto, o espírito da Escola desapareceu e, em seu lugar, surge a igrejinha, na qual as quimeras, as fantasias e os sonhos espiritualistas e esotéricos, usurpam o lugar do estudo sério, da lógica e da razão!

Não se pense, entretanto, que para dar continuidade a uma Escola se exija a perfeição dos seus continuadores ou a Iniciação nos Mundos espirituais! Não, não se pede tanto! Contudo, é indispensável haver uma certa maturidade anímica e experiência consolidada, apoiada na Fé e na Razão. É preciso que haja uma visão superior, divorciada das fantasias intelectuais, da vaidade e dos interesses próprios; uma Vontade afirmada e comprovada que nada pode deter nem enganar!

É imprescindível haver um elevado nível de Consciência, pois sem ela, não haveria Amor pelo próximo, sinceridade, fidelidade a um ensino superior, honestidade, dignidade, humildade, responsabilidade e outros atributos! Dar continuidade a uma Escola, não significa evidentemente satisfazer caprichos pessoais, fazendo dessa atividade um passatempo para as horas de folga.

Afirma o Sr. Max Heindel que a faculdade da Clarividência tem graus, e o primeiro diz respeito à maneira de ver e considerar as coisas aqui, no Mundo Físico. É preciso ter os olhos bem abertos a fim de não ser enganado pelas aparências superficiais e enganadoras! A palavra clarividência significa: ver com clareza, e não cremos que seja possível conduzir com segurança uma Escola, quando não se vê exatamente o objetivo proposto por ela, e sobretudo, quando não se nota a linha divisória que a separa e distingue de uma igreja.

Os evangelhos são claríssimos ao afirmarem: “quando os cegos se arvoram em condutores de outros cegos, cairão todos no barranco”. Considerando este princípio que parece absolutamente lógico, chega-se a simples conclusão de que, não seria possível guiar a outros, quando não se sabe exatamente para onde se caminha, ou seja, transmitindo os ensinos esotéricos aprovados pelo plano evolutivo, misturados com as idéias de falsos mestres(as) que nada têm a oferecer, a não ser as suas desmesuradas pretensões, fantasias e vaidades! Seria possível conduzir com segurança uma Escola, afastando-se dos princípios básicos implantados pelo seu Fundador? Não, nós não acreditamos!

Entretanto, foi isso que aconteceu em todos os tempos e, a “Fraternidade Rosacruz”, fundada pelo Sr. Max Heindel nos Estados Unidos, não escapou deste destino infeliz. Esse acontecimento foi previsto por ele algum tempo antes da sua passagem para os Mundos Internos, o qual foi registrado numa de suas lições, inseridas posteriormente na obra “Ensinos de um Iniciado”. Sua profecia realizou-se integralmente, e a usurpação do poder por pessoas não qualificadas, foi a causa principal da sua ruína. Usurpar o poder significa: Ocupar o lugar que não compete a um indivíduo, ao qual é elevado para atender os caprichos pessoais de um grupo!

A Fraternidade Rosacruciana São Paulo, nunca concordou com as novas diretrizes que passaram a vigorar na The Rosicrucian Fellowship, depois do falecimento do seu augusto fundador.

Em 1957, seu fundador e instrutor, Prof. Lourival Camargo Pereira, escreveu um artigo publicado no “Boletim Rosacruciano”, expondo aos estudantes e interessados, as razões que impediam a Fraternidade de filiar-se a Sede Central Americana em Oceancide. Diz ele: “Max Heindel faleceu em 1919, e daí para cá, a Fraternidade Rosacruz, por ele fundada em 1912, passou por muitas vicissitudes e alterações, por lutas e questões de toda espécie. É preciso que não se confunda a Filosofia exposta por Max Heindel com as diretrizes e opiniões que mais tarde foram adotadas pelos continuadores do seu trabalho na Fraternidade Americana. Como sempre acontece neste mundo, os continuadores de uma obra superior, perdem de vista e esquecem-se, com o tempo, do espírito que a iniciou, para só verem a letra e o patrimônio material.

Durante mais de 20 anos sustentou-se na Sede Central Americana, da maneira mais intransigente e incompreensível, uma luta inglória entre dois grupos de dirigentes, sendo a questão levada aos tribunais, chegando a Corte Suprema dos Estados Unidos. Calcula-se que gastaram nessa questão perto de 100.000 dólares. Cada um desses grupos pretendia a direção exclusiva da Fraternidade, com exclusão do outro. Um desses grupos, o mais poderoso, porque dominava as rendas e finanças da Fraternidade, prevaleceu e acabou por apossar-se de toda a direção. Há muitos anos que esse grupo mais poderoso, que se denominava “Diretoria Eclesiástica”, vinha transformando a Fraternidade numa organização de cunho francamente sacerdotal, passando a Fraternidade Americana a denominar-se “Fraternidade Rosacruz - Igreja não sectária”, sendo publicado oficialmente um livrinho de rituais entre os quais se incluem os de batismo, casamento, dominical, ofício de mortos, etc., que foram aceitos, e estão sendo postos em prática não só pela Sede Central, mas por vários centros filiados de outros países, como pudemos verificar também aqui no Brasil, em um centro do Rio de Janeiro, que aliás tem procurado fazer larga propaganda por toda parte”.

Passaram-se muitos anos, e a “Diretoria Eclesiástica”, resolveu mudar o nome para “Conselho Esotérico”, talvez, por serem criticados duramente por todos os estudantes sérios e honestos (Fiéis Probacionistas), que se viram obrigados a abandonar a organização, impossibilitados de lutar contra a corrente negativa, sentimentalista e feminina, que havia usurpado o comando da organização.

Porém, a mudança de nome “Diretoria Eclesiástica” para “Conselho Esotérico”, mudou apenas no rótulo, porque sua mentalidade aquática e negativa, continua a mesma. Para provar que a Mentalidade Eclesiástica ainda vigora e dirige a organização, introduziram nas diretrizes esotéricas deixadas pelo Sr. Max Heindel, as fantasias clericais da Sra. Corinne Heline, sob o pretexto de ser uma das primeiras discípulas do Sr. Max Heindel, embora este nunca a tenha citado em nenhuma de suas lições, nem tenha lhe conferido qualquer autoridade no campo da instrução, quer oral, quer escrita.

A ela se deve também a introdução do planeta (???) Plutão na astrologia tradicional, aceita sem critério algum pela maior parte dos astrólogos de todo o mundo. Felizmente, essa farsa astrológica está em vias de extinção, pois a astronomia está chegando a conclusão através de investigações sérias, que Plutão nunca foi planeta, não passando de um pedaço de pedra e gelo que gira no espaço.

Por outro lado, não convém iludir-se, pois como diz o velho ditado: “quem diz uma mentira terá que repeti-la cem vezes para poder sustentá-la. Desta forma, os admiradores de Plutão continuarão forjando as mais estranhas fantasias para sustentar seus pontos de vista absurdos.

A Sra. Corinne Heline (já falecida) é considerada hoje pelos corifeus de Oceanside, um verdadeiro oráculo, uma das precursoras da “New Age” (Nova Era), e a grande pregadora da Era de Aquário. Todavia, seus escritos não confirmam essa autoridade!

Acreditamos que essa “grande mestra” (?), tão admirada pelos atuais dirigentes de Oceanside seja a responsável, em grande extensão, pela introdução dos métodos eclesiásticos dos “Filhos da Água” em “Monte Eclésia”, os quais, foram aceitos com passividade e entusiasmo pelos antigos e atuais dirigentes da extinta Escola.

Tudo leva a crer que nem mesmo a Sra. Augusta Foss de Heindel, esposa do seu fundador, e responsável também pela ruína da Escola - pois foi sua diretora durante muitos anos - conseguiu controlar as utopias filosóficas dessa senhora.

Sua inclinação para os métodos eclesiásticos é indisfarçavel! Seus escritos refletem claramente uma admiração e devoção fanáticas pela Virgem Maria, muito própria da igreja e da hierarquia romana, na qual seguramente foi educada. Seu exaltado ideal feminino, nunca se conformou ao ver Maria ocupar um lugar de pouco destaque no drama evangélico. A seu ver, ela teria que receber honra igual a de Jesus, ou talvez ainda maior! Afinal, não diz a igreja que ela é a mãe de Deus, e a intercessora entre Ele e os homens? Seus ensinos são a maior prova das nossas afirmações!

Ao invés de libertar-se das falsas idéias religiosas, dos preconceitos e condicionamentos impostos por um clero decadente e arrogante, esta senhora procurou ajustá-los aos ensinos rosacrucianos, misturando-os com suas idéias absurdas e fantásticas que nada tem a ver com os ensinos sublimes apresentados pelos Evangelhos, pela Ordem Rosacruz e pelo Ocultismo tradicional de todos os tempos. Seus ensinos, ao invés de esclarecer, confundem os estudantes novos de boa fé.

Mais uma vez a lei evangélica é confirmada ao constatarmos que, o joio anda sempre misturado com o trigo, ou seja, a mentira sempre procura encontrar um meio de infiltrar-se na verdade. É preciso Ter olhos para vê-la e não tomar uma pela outra! Este artigo tem por finalidade chamar a atenção dos estudiosos, a fim de que vejam e se convençam dessa triste realidade!

Pergunta-se: Foi isso que o Sr. Max Heindel ensinou? Teria ele qualquer inclinação para os métodos eclesiásticos e sacerdotais? A Escola por ele fundada, encobriria uma igrejinha disfarçada e negativa? A resposta é obvia: é claro que não! Ele era e é um “Filho do Fogo”, e a forma mais fácil de comprovar nossas afirmações, é ler sua monumental obra “Maçonaria e Catolicismo”, para que se note claramente que seus métodos diferem radicalmente daqueles adotados pela organização de Oceanside e de seus satélites espalhados pelo mundo.

Nessa obra especialmente, o autor nos dá a conhecer francamente sua posição, frente as duas correntes que dividem a humanidade: A corrente do Fogo (esoterismo), e a Corrente da Água (teologia), posicionando-se na linha oposta ao catolicismo.

É possível que nos perguntem: “Porque a “Fraternidade Rosacruciana São Paulo” não deixa de fazer críticas a “The Rosicrucian Fellowship”, e aos seus centros filiados, e cuide apenas dos seus interesses próprios? “O Sr. Max Heindel, dirão eles, aconselhou-nos a não atacar ninguém e a ser tolerantes com todos os outros movimentos”.

Concordamos plenamente e nos inclinamos respeitosamente diante da advertência do Mestre, lamentando apenas a nossa incapacidade de atendê-lo. Entretanto, ele também nos ensinou, através do espírito das suas lições, a defender a verdade e a não compactuar com a negatividade, a mentira e a pretensão de quem quer que seja. E, se a organização de Oceanside é tão fiel as normas deixadas pelo Augusto Instrutor, porque não se manteve fiel aos princípios deixados por ele, transformando a escola numa sucursal dos “Filhos da Água”?

Ele considerou a lealdade a um princípio superior, como a principal virtude e característica de todo o estudante sério e sincero. Ele não nos ensinou a ser omissos! Não cremos, portanto, que ele esteja aborrecido conosco por defendermos os ensinos da Ordem Rosacruz apresentados por ele. Acreditamos até, que ele esteja satisfeito, ao ver que nos posicionamos contra a tendência fatal e adúltera de certos grupelhos, responsáveis pela transformação da sua Escola Esotérica, numa igrejinha disfarçada!

Também é conveniente dizer que, a Filosofia Rosacruz não é patrimônio particular de quem quer que seja, nem mesmo da organização de Oceanside. Os Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz não estão subordinados a ela, como não o estão a nenhum caprichinho egoísta e mundano. Eles atuam através de todas as organizações honestas e sinceras que se mantenham fieis aos seus ensinamentos.

Por essa razão falamos e escrevemos para que se conheça a verdade e também, por uma questão de princípios e de fidelidade à Ordem Rosacruz e ao Augusto Mensageiro! Seus ensinos pertencem a humanidade, e não a um grupo ou casta de privilegiados, com inclinações bem marcadas para o matriarcado e para o clericalismo.

Queremos que fique bem claro que, de fato, não temos nada a ver com outras organizações - especialmente com aquelas que se desviaram da linha original - como também não estamos absolutamente interessados em saber o que elas possam pensar a nosso respeito. Não esperamos sequer, que venham a ler os nossos artigos, pois não é para elas que escrevemos! A experiência nos demonstrou há muito tempo que, quando uma Escola se degenera e se transforma numa igrejinha, jamais voltará a ser uma Escola.

Não temos, portanto, nenhum receio de falar a verdade, doa a quem doer, mesmo porque, achamos que calar-se é tornar-se conivente e nós não o somos! Fazemos questão absoluta de sermos diferentes desse rosacrucianismo negativo, embebido e adulterado pelas idéias do ideal oposto (água)!

O nosso intuito, não é o de atacar a ninguém particularmente, mesmo porque somos bem conscientes das nossas fraquezas e dos nossos defeitos para atacar quem quer que seja. Entretanto, consideramos ser um dever moral e espiritual esclarecer os estudantes novos e inexperientes, a respeito das idéias falsas que vêm sendo enxertadas nos ensinos rosacruzes.

Fazem 78 anos que o Sr. Max Heindel partiu para os mundos espirituais, e os estudantes que não tiveram o privilégio de receber uma orientação superior, podem vir a pensar, que o que se apresenta em certas lições mensais de filosofia, enviadas aos estudantes pela Sede Mundial de Oceanside, e por alguns folhetos publicados pelos centros filiados a esta, estejam em sintonia com os ensinos apresentados por ele. (Ver outro “link” – “Adultério Filosófico”).

Apresentaremos a seguir algumas afirmações feitas pela Sra. Corinne Heline em uma de suas obras, que submetemos à apreciação dos nossos estudantes e de todas as pessoas sinceras dotadas de raciocínio lógico e bom senso.

É preciso que os legítimos estudantes tomem conhecimento dessas idéias fantásticas que, segundo os dirigentes da organização de Oceanside, se revestem de uma autoridade indiscutível por serem de autoria de uma das primeiras discípulas (?) do Sr. Max Heindel. Seus ensinos fazem parte do programa da organização e, são transcritos com admiração pelos Centros de Estudos filiados a esta.

Transcrevemos a seguir alguns trechos destas lições, que fazem parte da obra “In the Supreme Initiations of Blessed Virgin” (Nas supremas iniciações da Virgem Bendita). New Age Press, Oceanside, 1959, Trad. L.A.M. de autoria de Corinne Heline.

Estas lições foram publicadas pela Fraternidade Rosacruz de Portugal, em seu Boletim trimestral, de Out. Nov. Dez. de 1995 e Jan. Fev. Mar. de 1996, intitulado “ROSACRUZ”.

A revista “Sentiero Rosacrociano, Revista trimestrale del Centro Italiano, A.R.C.O”, também edita com freqüência, lições desta autora, demonstrando por ela uma grande admiração! Estas duas entidades são filiadas a Sede Mundial de Oceanside, a “The Rosicrucian Fellowship”.

“O Rito da Assumpção foi a experiência espiritual suprema da Virgem Maria. Após ter aprendido todas as lições que este plano físico pode ensinar, ela trocou a terra pelo céu e a sua residência junto da humanidade por um lar compartilhado com os anjos.”

“Podemos correlacionar o Rito da Anunciação com a Iniciação pela terra. A sua consumação fornece o domínio da matéria física. O lar destes anjos que trabalham com a terra localiza-se nos reinos etéreos, de tal forma que a Virgem jamais poderia ter ascendido no seu corpo físico a essa esfera; tendo, porém, obtido o domínio da matéria física, fez tornar o seu corpo denso aos elementos originais e, num veículo etéreo, passou para a sua morada entre os anjos”...

“Embora a Virgem Bendita resida agora no céu com os anjos, passa muito tempo na terra trabalhando com a humanidade. Muitos experimentaram já a sua visão (e a do seu anjo da guarda) nos hospitais, sobretudo nas maternidades e onde existem crianças que sofrem. E alguns que não a viram tiveram a consciência de receber a consolação das suas bênçãos. Maria prefere trabalhar onde as nuvens são mais carregadas e as sombras mais pronunciadas. Enquanto vivia na terra escolheu trilhar o caminho do sofrimento; agora dedica-se a ajudar os que trilham o mesmo caminho. Onde quer que existam movimentos para a emancipação e a elevação da mulher (?), ela está presente, encorajando e inspirando todos os que se devotam a esse trabalho humanitário”...

“Pergunta-se muitas vezes se não existirão anjos masculinos, atendendo a que estes são normalmente representados no feminino (???). Ora, eles não são masculinos nem femininos, já que manifestam a força e coragem masculinas combinado com o amor e a ternura femininas. Desta forma, são os ministros ideais para uma humanidade que ainda não desenvolveu em si a força dual”...

“É uma visão rara a de um grupo de anjos em ação ou divertindo-se (???). Os seus corpos etéreos são luminosos e possuem um brilho intenso; flutuam no ar com a graciosidade das borboletas nos jardins ao pôr do sol”...

“É, contudo, freqüente um grupo de anjos em movimento formar uma sinfonia de cor. Os seus corpos etéreos resplandecentes refletem a cor de harmonia com a atividade do momento. Sobre as grandes cidades forma-se de noite uma nuvem escura e miasmática, constituída pelos pensamentos negativos e pelas emoções geradas pelo homem. Hostes de anjos lançam-se então na tarefa de dissipar tanto quanto possível essas forças malignas. Com a chegada da aurora, brilham alegremente no horizonte, como navios de luz, ascendendo cada vez mais alto até se perderem de vista”...

“Alguns anjos tem por missão inspirar artistas, poetas, músicos e outros trabalhos criativos. Estes seres vestem normalmente refinados tons de azul. Outros trabalham com estudantes, os filósofos e com todos aqueles que estão empenhados em profundas e sérias investigações. Neste caso ostentam o tom dourado brilhante próprio do resplendor de Cristo. Lares desfeitos e membros afastados de famílias são por vezes reunidos miraculosamente, graças à intervenção angélica. Os anjos que realizam esse trabalho envergam delicados tons de rosa, a cor da radiação do amor”...

“Existem anjos que colaboram com os aspirantes que trilham o caminho da luz conducente, em última analise, às esferas celestes. Vestem de branco com tonalidades de orquídea resplandecente, que são os tons da divindade. É a radiação de Netuno, através da qual serão revelados ao homem muitos dos segredos maravilhosos da Nova Era”...

“É perfeitamente lógico que a Virgem Bendita tenha a sua morada entre estes seres celestiais, com os quais se encontra em perfeita sintonia. Os anjos não possuem corpo de desejos (???) , mas estão envolvidos num manto de pura luz”...

“De novo aqui a divina Maria resplandece como um padrão perfeito, pois efetuou por completo esta transformação dentro de si própria. Isso era essencial antes de passar pelo sublime mistério da Imaculada Conceição. Eis porque no Rito da Assumpção hostes de seres celestiais estendendo-se até o próprio trono de Deus se juntaram aos anjos e arcanjos num coro triunfal enquanto Maria era coroada pelo próprio Cristo. Sheila Faye-Smith escreve: “A raça humana floresce em Maria. Cultivada no jardim do sonho universal do homem, regada pela lei da raça eleita, a Rosa de Sharon abre a sua corola para ser fertilizada por Deus. Maria é a única flor perfeita nascida nos tristes começos da espécie humana. O solo era rico e muitos os jardineiros, mas só uma flor se abriu ao sol em toda a sua perfeição”.

“Por isso a Virgem Bendita é, para toda a humanidade, a Escola da esperança e o perfeito exemplo da vitória espiritual. É a Noiva da luz entre este vale de lágrimas e os reinos celestiais”.

Cremos não ser necessário fazer qualquer comentário à respeito destas afirmações inconsistentes, por serem expressões da fantasia mais exaltada e descontrolada, reflexos sonhadores e sentimentalistas da hierarquia dos “Filhos da Água”, sorrateiramente infiltrados nos ensinos superiores dos “Filhos do Fogo”.

A que conclusões chegamos ao ler estas divagações filosóficas? A de que, os Irmãos Maiores da Ordem Rosacruz, e das demais Escolas, assim como, seus Auxiliares Invisíveis, não são mais necessários, pois seus lugares foram ocupados pelos anjos e pela Virgem Maria. Ainda mais, que o grande ideal Crístico promulgado pela Ordem Rosacruz, foi substituído pelo ideal mariano, feminino e negativo, defendido pelo método passivo, infantil e maternal apresentado pela igreja.

Os pretensos continuadores da obra do Sr. Max Heindel exaltam os escritos da Sra. Corinne Heline, por ter sido (dizem eles) uma das suas primeiras discípulas. Evidentemente, pretendem com essa apresentação, conferir-lhe uma autoridade e prestígio que seus escritos não confirmam absolutamente.

Segundo o nosso critério o prestígio filosófico da discípula sai um tanto arranhado, quando suas lições são comparadas às do Mestre (Max Heindel) que, segundo eles, a teria instruído.

Que os dirigentes de Oceanside não se enganem, ao pensar que ninguém estuda nada seriamente, e que todos não passam de ingênuos e simplórios a ponto de aceitar seus sonhos filosóficos! Cremos que seria oportuno dizer-lhes que, existem muitos estudantes sinceros e leais aos ensinos do Sr. Max Heindel, e estes, por estarem despertos, não se deixarão enganar nem envolver por suas fantasias espiritualistas.

A lenda de Hiran Abif nunca será esquecida pelos verdadeiros ocultistas. Seu significado superior continua tão vivo nos tempos presentes, como o foi no passado remoto. Os verdadeiros Filhos do Fogo, repetimos, não se deixarão enganar!

Ainda um ponto importante a observar: No seus ensinos sobre a Astrologia, o Sr. Max Heindel nunca deu qualquer esclarecimento a respeito das influências do planeta Plutão, talvez por ser muito vaga e indeterminada a sua influência, se é que ele tem alguma. (até hoje ainda não se sabe com segurança se Plutão é um planeta, uma Lua ou um asteróide sem maior importância ).

O fato de ter sido descoberto em 1930, portanto, depois da passagem do Sr. Max Heindel para os mundos espirituais, não significa que ele o desconhecesse. Supor que as condições da época atual são diferentes das do passado e que o Sr. Max Heindel não teve meios de determinar sua existência , é uma infantilidade!

É conveniente lembrar que o grande Instrutor está vivo, ele foi e é um Iniciado e discípulo de um Irmão Maior da Ordem Rosacruz, portanto, altamente capacitado para fazer uma investigação profunda e qualquer comentário a respeito.

Se não o fez, foi porque não achou conveniente e nem necessário fazê-lo ou por não encontrar nele (Plutão) qualquer significado ou influência digna de nota. Por essa razão não encontramos em suas obras: “A Mensagem das Estrelas” e “Astrologia Científica e Simplificada”, qualquer alusão a este pretenso astro.

Contudo, os escribas de Oceanside, a exemplo dos astrólogos (?) modernos, especialmente dos filiados a “New Age” e, para não serem considerados desatualizados, acharam por bem fazer uma descrição e interpretação desse planeta, seguindo a orientação da Sra. Corinne Heline, ardorosa defensora de Plutão.

Perguntamos: Quem lhes conferiu a autoridade para fazer essa interpretação, a respeito de um astro praticamente desconhecido e que se encontra nos confins do nosso sistema solar, se é que pertence a ele? Seguramente não foi o Sr. Max Heindel e muito menos a Ordem Rosacruz.

Talvez tenham sido os estudos acadêmicos, psiquiátricos e psicológicos (embebidos de astrologia utilitária) realizados pelos (as) atuais dirigentes de Oceanside. Que critérios foram usados para escrever essa interpretação que, além de absurda é apresentada na obra “A Mensagem das Estrelas” de autoria do Sr. Max Heindel e da Sra. Augusta sua esposa?

Esse amontoado de tolices faz supor aos estudantes novos e desinformados que essa interpretação tenha sido escrita pelos autores da obra. Rogamos aos estudantes novos que verifiquem as antigas edições em Inglês e Espanhol, entre outras, para confirmar nossa denúncia. Essa interpretação não existe, foi acrescentada posteriormente pelos dirigente da ex. escola, às novas edições.

Que fizessem um folheto a parte com a dita interpretação, poderíamos até compreender, afinal, os ensinos rosacrucianos estão atualmente mesclados com opiniões próprias e preconcebidas, porém, incluí-la numa obra cuja autoria é a de um Iniciado, não é justo nem honesto, é crime.

Talvez os atuais dirigentes da organização se considerem os únicos e legítimos herdeiros do patrimônio filosófico deixado pelo insigne Instrutor, com o direito de acrescentar aos seus ensinos tudo o que bem entenderem.

A Fraternidade Rosacruciana São Paulo procura estar informada de tudo o que acontece no campo do espiritualismo, e especialmente o do rosacrucianismo. Por uma questão de fidelidade aos ensinos superiores, sua direção sente-se no direito de denunciar toda e qualquer idéia ou pretensão, que não esteja de acordo com o legitimo método rosacruciano exposto no “Conceito Rosacruz do Cosmos” e outras obras do autor.

É um atentado filosófico acrescentar aos ensinos do Sr. Max Heindel ou de qualquer outro autor, as idéias particulares de quem quer que seja. Ninguém foi, ou está autorizado a fazer esse trabalho. O que se faz necessário, isso sim, é estudá-las para entende-las devidamente, tal e qual como elas foram escritas originalmente.

Dirigimo-nos a todos os estudantes sérios e livres, aos que tem olhos para ver e ouvidos para ouvir, para que estudem com imparcialidade as obras deixadas pelo Sr. Max Heindel e confirmem por si mesmos a veracidade das nossas afirmações.

Vemos nessa atitude da The Rosicrucian Fellowship uma falta de respeito e de ética a toda prova! Uma demonstração de falta de consciência e consideração para com o nobre Instrutor.

Com essa atitude a igrejinha de Oceanside dá a maior prova de pequenez e de irresponsabilidade, acrescentando aos ensinos de um Instrutor do porte do Sr. Max Heindel, as quimeras e opiniões espiritualistas, formuladas por um grupo que se diz esotérico, dominado contudo, pela vaidade e pela pretensão; um grupo incapaz de ver o espírito que brilha nas entrelinhas das suas lições, e por essa mesma razão, impedidos de manter a Escola dentro das linhas do legítimo rosacrucianismo!

Terminando, expomos abaixo a profecia feita pelo Sr. Max Heindel, inserida na sua obra “Ensinamentos de um Iniciado”, provando que o seu fundador já havia previsto a decadência da instituição por ele fundada.

“Até aqui não pudemos evitar as rígidas e firmes condições de organização na Sede, mas a associação sem restrições deve permanecer livre para que possa alcançar maior crescimento espiritual e vida mais longa. No entanto, é triste considerar que, embora sejam essas as nossas intenções, chegará o dia em que a FRATERNIDADE ROSACRUZ (de Oceanside) terá o mesmo destino de todos os outros movimentos: Ficará atada por regras, e a usurpação do poder fará com que ela se cristalize e se desintegre. Mas é um consolo saber que de suas ruínas surgirá algo maior e melhor, como ela surgiu de outras estruturas que já tiveram a sua utilidade e estão agora em vias de dissolução”. (Max Heindel)

Que as rosas floresçam sobre a vossa cruz


Voltar     Imprimir

 
 
 
Ver mais  
 

 
Alameda Barros, 101 - SL. 11 - CEP: 01232-001 - São Paulo/SP