Categories
Artigos

Filosofia Rosacruciana

Filosofia Rosacruciana

Max Heindel…

Com o objetivo de eliminar uma concepção comum e errônea, desejamos esclarecer os estudantes que não somos Rosacruzes pelo fato de estudarmos seus ensinamentos, nem ainda nossa admissão no Templo nos dá o direito de adotar esse título. O autor, por exemplo, é unicamente um “irmão leigo”, um discípulo e, sob nenhuma circunstância chamaria a si mesmo de Rosacruz.

Sabemos muito bem que, quando um rapaz gradua-se numa escola primária, nem por isso está preparado para ensinar. Deve antes passar pelo ensino médio e faculdade e, ainda então, pode acontecer que não se sinta inclinado a ser professor. Do mesmo modo, na escola da vida, por um homem ter-se graduado na Escola de Mistérios Rosacruzes não é, ainda assim, um Rosacruz. Os graduados nas várias Escolas de Mistérios Menores passam às cinco Escolas de Mistérios Maiores. Nas quatro primeiras, passam pelas quatro Grandes Iniciações, e por último alcançam o Libertador, recebendo conhecimentos concernentes a outras evoluções, e onde se lhes dá a escolher entre ficar aqui para ajudar a seus irmãos, ou entrar em outra evolução como auxiliares. Os que escolhem ficar aqui como auxiliares recebem diversas tarefas, de acordo com seus gostos e inclinações naturais. Os Irmãos da Rosacruz estão entre esses Compassivos Seres, sendo um sacrilégio arrastar pela lama o nome “Rosacruz”, usando-o como título próprio, quando não somos mais do que estudantes de suas Sublimes Doutrinas.

Da obra “Conceito Rosacruz do Cosmos”